A primavera das mulheres na mídia de Espanha e Portugal

Neste exílio voluntário só me restou acompanhar as gigantescas manifestações no Brasil protagonizadas pelas mulheres contra o candidato da extrema-direita.

Esta Primavera das Mulheres é o mais potente acontecimento político dessas eleições, uma demonstração clara e inequívoca de que é possível combater a intolerância, o ódio, a discriminação, o machismo, o racismo e a homofobia com união e organização política.

Não adianta tapar o sol com a peneira: sim, elas vão decidir.

Sim, ao que parece, elas já decidiram.

E se você pensa que isso é só “mi mi mi”, dá uma olhada na mídia de Espanha e Portugal na manhã deste domingo, 30.

Parte da homepage de El País, versão espanhola

Bolsonaro: ultra-ameaça no Brasil – El País

Centenas de milhares vão às ruas encarar Bolsonaro – El País

Chamada na homepage de El Español

As mulheres marcham contra Bolsonaro – El Español

Seção Internacional de El Mundo, na Espanha

Mulheres lotam as ruas do Brasil contra a ultra-direita de Bolsonaro – El Mundo, Espanha

Portal da Rádio e Televisão Espanhola

“Ele Não”, o grito de milhares de mulheres no Brasil contra Bolsonaro – RTVE, Espanha

Público, de Portugal, não mede palavras em sua chamada

Contra o fascista Bolsonaro, elas marcharam pela democracia – Público, Portugal

Chamada de capa no site do Diário de Notícias, de Portugal

Protestos contra Bolsonaro em mais de 50 cidades do Brasil – Diário de Notícias, do Portugal

5 respostas para “A primavera das mulheres na mídia de Espanha e Portugal”.

  1. […] via A primavera das mulheres na mídia de Espanha e Portugal — christofoletti.com […]

  2. Desculpa, mas não teve nada de gigantesco nesses protestos. Eles existiram, mas foram bem pequenos.

    1. 150 mil pessoas em São Paulo, 200 mil no Rio, mais outras 50 cidades pelo país e um punhado no exterior… Não te impressiona?
      É de longe a maior mobilização dessas eleições. Não foi articulada por partidos, nem por centrais sindicais ou mesmo patrocinadas pela Fiesp. Foi uma mobilização concebida, organizada e protagonizada por cidadãs e cidadãos de todas as partes. Em tempos de tanto ódio, de tanto desalento político e de tamanha ojeriza partidária, não é pouca coisa não…

      1. Sim, foi pouco, não chegou a um milhão de pessoas se somar tudo.

      2. Pelo esforço que fizeram, por ser todo mundo “anti Bolsonaro”, deu pouca gente. Mal deu um milhão. Se a ideia era mostrar força, o tiro saiu pela culatra.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: