marques de melo vai liderar revisão de diretrizes curriculares dos cursos de jornalismo no brasil

O Ministério da Educação anunciou hoje que o professor José Marques de Melo vai presidir a comissão que reformará as novas diretrizes curriculares dos cursos de Jornalismo. Segundo a assessoria de comunicação do MEC, o convite para a empreitada teria partido do próprio ministro Fernando Haddad, a exemplo do que fez com Adib Jatene com os cursos de Medicina.

Conforme ainda o MEC, Marques de Melo terá carta branca para constituir a comissão que reavaliará as diretrizes curriculares do Jornalismo, cujo período de trabalho será de 90 dias. Concluída a missão, um parecer deve seguir para o Conselho Nacional de Educação, órgão que irá bater o martelo para o documento.

Marques de Melo é o nome mais indicado para presidir a comissão, já que é o nome mais representativo da Comunicação no país. É autor renomado, tem fácil trânsito entre as entidades da área, é reconhecido por seus pares, tem articulação nacional e internacional, e trabalha muito.

A revisão das diretrizes é um pedido antigo de pesquisadores e professores da área, já que o documento é um exemplo completo de esquizofrenia. As diretrizes sinalizam competências e habilidades que egressos dos cursos de comunicação – e suas muitas habilitações – devem ter. Mas a leitura do documento e dos perfis esperados angustia o leitor que enxerga facinho a distância entre cineastas e jornalistas, entre publicitários e editores, entre relações públicas e radialistas, todos cobertos pelas mesmas diretrizes curriculares.

A revisão do documento, portanto, é muito bem vinda. Marques de Melo e sua equipe terão bastante trabalho pela frente, mas é preciso vencer os medos, as resistências, os ranços.

chamada de textos: ciência, tecnologia e sociedade

A Revista Brasileira de Ciência, Tecnologia e Sociedade lançou a chamada de artigos e resenhas para sua primeira edição. A publicação, em versão exclusivamente eletrônica, está ligada ao Grupo de Pesquisa Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS) do Departamento de Ciência de Informação e Programa de Pós-Graduação em Ciência, Tecnologia e Sociedade da Universidade Federal de São Carlos. Saiba mais sobre o programa em http://www.ppgcts.ufscar.br/

A revista possui orientação pluralista e publica trabalhos que apresentem contribuições originais, teóricas ou empíricas, relacionadas à área CTS. Seu endereço é http://www.revistabrasileiradects.ufscar.br

Os trabalhos serão recebidos por via eletrônica até 2 de março de 2009. Os autores poderão acompanhar o progresso de sua submissão através do sistema eletrônico da revista.

aprovados na seleção do mestrado em educação

O Programa de Mestrado Acadêmico em Educação da Univali anunciou os candidatos aprovados para compor a Turma 2009.

Veja a lista: selecionados_2009

A Coordenação do PMAE informa que os candidatos não selecionados podem se inscrever como alunos especiais para o próximo semestre. Para este procedimento, informações já estarão disponíveis em dezembro.

Uma nova seleção para mestrandos no programa acontece em maio, para ingresso no segundo semestre.

observatório publica especial sobre 20 anos de constituição

Arte de Henrique Costa para o Observatório do Direito à Comunicação
Arte de Henrique Costa para o Observatório do Direito à Comunicação

O Observatório do Direito à Comunicação acaba de publicar um (ótimo) especial sobre os 20 anos da Constituição Federal e a mídia nacional. Compõem o dossiê textos de Mariana Martins, Henrique Costa, Jonas Valente e Cristiana Charão. Os temas vão da concentração na propriedade dos meios à tensão entre público e privado, passando também pelas concessões de radiodifusão, liberdade de expressão e produção de conteúdos com identidades locais e nacionais.

Não é novidade alguma dizer que esse Observatório realiza um trabalho importantíssimo para a sociedade na medida em que reflete criticamente as relações entre comunicação e sociedade. Desta vez, com este dossiê, mais um material de referência é oferecido.

pesquisa: jornalistas “mais estudados” ganham mais

Deu no Portal Imprensa

(A matéria no site da Fenaj – mais completa – pode ser lida aqui)

A FENAJ concluiu, em outubro de 2008, a etapa nacional de um estudo qualitativo sobre as condições de trabalho dos jornalistas da América Latina e Caribe. Os números expostos pela pesquisa revelam que a maioria dos profissionais atua na área urbana e que há um equilíbrio de gênero nas vagas ocupadas pelo setor e que a escolaridade interfere diretamente nos ganhos salariais. O levantamento também mostra que a violação dos direitos trabalhistas está entre as maiores preocupações dos profissionais. A realização do estudo é de competência da Federação Internacional dos Jornalistas, em parceria com a ONG norte-americana Centro de Solidariedade.

No Brasil, o levantamento foi coordenado pelo Departamento de Mobilização, Negociação Salarial e Direito Autoral da FENAJ. Segundo o diretor do órgão, José Carlos Torves, a amostragem escolhida levou em conta profissionais presentes ao 33º Congresso Nacional de Jornalistas, segundo informa a Federação.

Na divisão entre gêneros, a pesquisa aponta igualdade entre homens e mulheres no quadro de profissionais da categoria, 50,8% e 49,2%, respectivamente. Outro dado fornecido pelo estudo revela que nas redações a faixa etária dos jornalistas fica, em média, entre os 41 e 55 anos.

A pesquisa mostra também que o aumento da remuneração dos profissionais está diretamente relacionado ao nível escolar apresentado. Nos que possuem mestrado e doutorado, os quais somam mais de 12%, os salários giram entre mil a cinco mil dólares.

Com relação às questões trabalhistas, a falta de vínculos empregatícios, o não comprometimento entre empresa e funcionário nas datas e salários fixados e a morosidade no cumprimento de obrigações sociais são pontos mais abordados pelos profissionais do setor.

rápido e rasteiro: 4 links sobre jornalismo e cibercultura

Tentando tirar umas teias de aranha que se acumularam de sábado pra cá neste blog, mando ver com uns links represados em meu RSS:

internet de graça em itajaí só no papel

Internet gratuita na cidade? Hummmm…

Durante a campanha eleitoral deste ano, um tema me chamou a atenção: a cidade teria internet de graça, com o projeto Itajaí Digital. A promessa foi feita pelo candidato à reeleição, Volnei Morastoni (PT), já que o projeto fora iniciado.

Meus meninos do Monitor de Mídia foram a campo ver como está o assunto. A conclusão é de que a promessa está anos-luz da realidade. Você pode conferir uma reportagem na edição 145 do MONITOR DE MÍDIA. O trabalho é assinado por Camila Guerra, Gabriela Forlin e Joel Minusculi.

ética na internet: preocupações jornalísticas

Em Bogotá, jornalistas e pesquisadores discutem os próximos passos das redações e do jornalismo. O Seminário Futuro do Jornalismo na Internet e Profissionalização das Redações On Line está tratando de questões agudas das novas tecnologias e da velha profissão.

Christian Espinosa conta que um dos debates mais interessantes enfocou os dilemas da ética on line, destacando que a audiência, o público já ocupa uma posição de fiel da balança. Citando Andrés Azócar, da escola de jornalismo da Universidad Diego Portales (Chile), Espinosa contrapõe:

Verdade X Veracidade

Fontes vivas X Wikipédia

Jornalismo tradicional X Jornalismo cidadão

Intuição X Confirmação

Direitos autorais X Subsídios cruzados

Participação X Checagem de informação

Um assunto palpitante, interessante, incômodo…

Atualização: Espinosa dá a direção dos slides de Azócar. São 22 slides que ajudam a entender o raciocínio do autor.