O assunto é sério.

Tenho analisado as estatísticas deste blog pelo WordPress e uma coisa me chamou a atenção: a grande procura e leitura por meu post “sobre fotos de acidentes e crimes”. A gente nunca sabe ao certo como se espalham as coisas pela internet e menos ainda na blogosfera. Um link aqui dado num site mais influente despeja leitores os mais diversos no blog do ilustre desconhecido.

Mas neste caso em particular, penso que a situação se explica também pela curiosidade mórbida de alguns que chegam a este espaço via motores de busca. OK. Cada um busca na grande rede aquilo que mais lhe interessa, mas algumas coisas vão além da excentricidade e da bizarrice. Recebi um comentário, não apenas contestando minha posição – de que não podemos concordar com a exploração da dor alheia, com a falta de respeito aos mortos, etc. -, mas fazendo apologia de um certo site que vive disso.

Não, você não leu errado. O site – que não vou linkar aqui – traz fotos de acidentes de trânsito, autópsias, suicídios, tragédias e até “mortes por doença” e “lixamentos” (sic). O menu avisa que há vídeos, mas muitos links estão quebrados. Seu autor defende assim as suas idéias:

“Sr. Rogério christofoletti. Eu tenho um site que mostra tudo isso que você falou. Mas discordo do comentário acima citado. Meu portal tem sim fotos chocantes de tragédia , acidentes e muito mais , mas meu intuito é orientar pessoas com fotos dramáticas. e não aproveitar da dor alheia . Meu portal é utilizado aqui na cidade onde moro , nas palestras de cfc e nas aulas de novos motorista afim de orienta los que a vida levada de forma indevida pode levar a caminhos trágicos e que transito não é brincadeira . A respeito de outras fotos postada que o conteúdo não se enquadra em vitima de acidente de transito podem também ter seu conteúdo como educativo. As fotos são todas trabalhadas afim de preservar a privacidade do indevido , mesmo morto tem familiares e amigos. Já recebi vários relatos que indicam que Motoristas , Jovens e outros que visitarão o site ficão com medo e come são agir de maneira mais cuidadosa seja no transito ou em outras situações da vida. Mas enfim , existem 1000 e 1 maneira de se educar e está foi a que eu escolhi. Carlos A C Souza”

Retirei hoje o comentário deste senhor de meu blog.

Por diversas razões:

1. Não vou dar links ou divulgar esse tipo de iniciativa.

2. Não acredito que educação se faça assim. Educação pelo medo, não!

3. O site traz uma advertência em sua home de que a iniciativa atende ao Código Nacional de Trânsito (Lei nº 9503/97). O autor quer enganar os incautos dando a impressão de que o site é de caráter educativo. Educativo uma ova!!! Basta ler o Capítulo VI da mesma lei e perceber a diferença entre as coisas.

4. O site tem a cara de pau de – após oferecer cadávares e mais cadáveres em situação calamitosa que não apenas choca, mas desrespeita a perda e a dor dos familiares – trazer no seu rodapé um banner de solidariedade a familiares e amigos das vítimas do acidente da TAM, do mês passado.

5. O site é desrespeitoso, rancoroso, moralista, sensacionalista – basta ver o layout com cores quentes berrantes e gifs animados – e de extremo mau gosto. Sem contar as chamadas do tipo “Só mortos”. O site comemora que mostra o que a TV não mostra.

6. Duvido que o dono do site tenha declarações de cessão de imagem de todas as fotos em que aparecem pessoas vitimizadas. E se ele não possui tais documentos está conflitando frontalmente a Constituição Federal e o direito de imagem, entre outras convenções inclusive internacionais. As vítimas clicadas não podem reclamar seu direito à inviolabilidade da imagem, não podem reivindicar anonimato, preservação de imagem.

Nojento! Chocante!

Este site não está sozinho, há outros por aí, claro. Mas este em particular chega a revoltar de tanto desrespeito com a vida humana, de tanta chacota com a dor dos outros, de tanta ignorância sobre o que seja educar pelas imagens.

Num ambiente exasperante como esse fica até absurdo falar em “responsabilidade”, em “ética na web”, em “auto-regulação de conteúdos”,  em  “conduta civilizada”…

Um nojo!

33 comentários em “sobre fotos de acidentes e crimes (2)

  1. Olha, é revoltante. E além disso, ele veio cheio de ‘razão’ comentar por aqui, com um português excelente, hein? A internet é muito boa, e muito ruim.

  2. Tens meu apoio, Rogério. E tua postagem me leva a pensar em várias coisas.

    1. Nessa questão dos links, tags, da Web em geral. Faça qualquer postagem aqui no blog, mesmo séria, em que as palavras celebridade, tragédia chocante e sexo (principalmente bizarrices) apare´cam com freência e teus acessos não dobrarão. É doentio. Cheguei a usar os anúncios do Google Adsense em meu blog, tempos atrás, mas retirei um pouco por causa disso. Primeiro, que quem usa o Adsense, usa desses recursos sensacionalistas para conseguir acessos e cliques (ou seja, renda do Google). Segundo, a própria publicidade do Google é problemática. Quando postava sobre jornalismo, o serviço chegava a linkar anúncios de “Abaixo o Diploma para Jornalistas” no blog. Entre outras coisas piores. Como filtrar tudo isso? Só deixando de usar o serviço mesmo.

    2. Penso na crescente onda de sensacionalismo no jornalismo também. Ainda estou trabalhando no projeto do website de uma rádio daqui de Brusque-SC. Tivemos períodos em que a proposta permaneceu parada por problemas internos (mexer com empresa míope é complicado). A Rádio está se transformando numa espécie de Rádio Patrulha. Só tem coberto tragédia e politicagem, infelizmente. Fiquei até meio perplexo quando ouvi o pessoal se comunicando, lá, com um linguajar de policial, com direito à “câmbio”, “positivo”, denominação de ocorrências policiais por códigos da própria polícia, etc., e uma sede por ocorrências diárias (além de uns certos exageros e “incrementos” no noticiário). Chegou-se ao cúmulo, tempos atrás, de um repórter da rádio ajudar a polícia quando um suspeito (suspeito, para reforçar) tentava fugir do camburão. Só falta porem colete de policial de uma vez. Não bastassem as rádios, a peste se propaga em impressos, na TV, na Web. Dá nojo também.

    3. O que narras me lembra a conversa com um dono de uma padaria, onde eu lanchava quando trabalhava no jornal. Ele e uns amigos, fiquei sabendo depois, mantinham um mailing list só com fotos de tragédia, que enviavam para diversas pessoas. Um dia fui tomar um café na padaria e o fulano chegou pra mim, querendo barganhar “fotos espetaculares” que não saiam no jornal. Nojento. Deixei de tomar café lá. E conhecendo um pouquinho mais as coisas, teve casos de acidentes graves aqui que em questão de minutos chegavam a mailing list enormes. Vindos de policiais, bombeiros, técnicos de IML, sabe-se lá de onde mais. Profissionais que deveriam ser os primeiros a respeitar a dor de familiares e que eram os primeiros (os que tinham acessos) a divulgar materiais deste tipo.

    Quando a gente vê essas coisas (e até gente que recebe casos de suicídio em seu e-mail e dissemina), perde-se um pouco da esperança no ser humano. E quando vê isso adentrar o jornalismo, perde-se uma certa esperança na profissão também (não se perde de todo porque se é teimoso, na verdade). Com relação ao comentário da Larissa, a tecnologia é amoral. Nós é que determinamos seu uso. Nós é que somos bons ou ruins.

    Pra resumir tudo isso, tem horas que me sinto um Jedai depois da Vingança dos Sith, sabe…

    Abraço Rogério

  3. CORREÇÕES (meu teclado da umas travadas, então, só corrigindo): “1. Nessa questão dos links, tags, da Web em geral. Faça qualquer postagem aqui no blog, mesmo séria, em que as palavras “celebridade”, “tragédia chocante” e “sexo” (principalmente bizarrices) apareçam com freqüência e teus acessos dobrarão”

  4. ENCERRO AQUI ESTE DEBATE , Mostre me se o que faço é proibido que tirarei o site do ar.

    “ penso que a situação se explica também pela curiosidade mórbida de alguns que chegam a este espaço via motores de busca. OK. Cada um busca na grande rede aquilo que mais lhe interessa “

    “”O site é desrespeitoso, rancoroso, moralista, sensacionalista – basta ver o layout com cores quentes berrantes e gifs animados – e de extremo mau gosto. Sem contar as chamadas do tipo “Só mortos”. O site comemora que mostra o que a TV não mostra””

    As fotos são tiradas da internet e outras os usuários que enviarão.

    Não tenho o interesse de agradar e sim orientar.

    Se meu site tem links quebrados ou mesmo se as cores não lhe agradão isso não me importa.

    O que me importa é que da certo , como já disse .

    Seja por medo ou por outro motivo.

    Pois quem vê as fotos percebem que não são forjadas em aço.

    “A COR DO SEU BLOG “ Preta !!!! não gostei e daí? Isso lhe importa? Acho que não .

  5. Carlos,

    começando pelo final…

    1. Seu comentário sobre a cor deste blog cheira a racismo. E isso é crime. Inafiançável.

    2. Não me importam as cores de seu site. Não é questão de gosto, de estética. Apenas as cores são usadas para reforçar o impacto que se quer, apenas para realçar a estratégia de chocar. E sou contra fazer espetáculo, fazer terror, causar pavor e ojeriza com a imagem dos outros.

    3. Notei que o senhor colocou uma advertência no início do site. O expediente avisa o internauta do conteúdo. Mas não alivia sua responsabilidade em crime de violação de imagem, de desonra a pessoas mortas, e de cumplicidade em possível crime de vazamento de informações por funcionário público.

    Veja:
    Quem permite vazamento ou envia as fotos pode ser preso
    Quando há punição
    1 – A foto é tirada para ser usada como prova judicial e pertence à Justiça. Só pode ser usada, única e exclusivamente, no processo. É tirada por um perito ou funcionário das forças de segurança, que estão aptos a permanecer no local do crime. Se estas imagens vazarem, constitui crime.
    2 – A foto pode ser tirada por um funcionário das forças de segurança, mas não com o objetivo de ser utilizada como prova judicial. Mesmo assim, deve ser guardada de forma que não exponha as pessoas da foto. Deve ser mantida em segredo e, se houver a facilitação para que terceiros tenham acesso, é crime.
    3 – As fotos podem ser tiradas por pessoas comuns que por acaso tenham tido acesso à cena do crime. Mesmo se tratando de documentos particulares, se forem divulgadas e causarem constrangimento para a vítima, mesmo que morta, e para a família, os responsáveis também poderão ser punidos.
    Legislação
    Pena prevista em caso de condenação, com base no Artigo 325 do Código Penal:
    – Violação de sigilo funcional (revelar fato de que tem ciência em razão do cargo e que deva permanecer em segredo, ou facilitar-lhe a revelação): detenção de dois a seis anos (se há dano moral) ou detenção de seis meses a dois anos (se não há dano moral).
    Quando as penas são inferiores a quatro anos, o juiz pode substituí-las por penas alternativas, como trabalho voluntário.

    (Fonte: Diário Catarinense, 5 de agosto de 2007)

    Convencido de que é crime???

  6. Só deixo claro que meu intuito não é este que o Sr tanto diz ser.
    Em questão de racismo , va pra lá né. Simplesmente fiz uma comparação em que é agradável ou não para cada um.

    Não disse nada que venha a agredir alguém.

    Só acho que tenho uma meta em mente e desejo alcançar meu objetivos. Meu site não é como outros tantos que se encontra na rede a mais de 4 anos e que tem uma média de 60.000 visitas diárias.

    Procuro um meio de orientar e advertir e não viver em um mundo de ilusão onde damos as costas para a realidade em que infelizmente está ao nosso redor.

    Em questão do comentário logo abaixo das fotos “ A equipe fotografei se solidariza com as vitima dos acidentes “ concordo com você e tão logo será removida.

    Concordo no sentido que não cabe está frase na ocasião em que se encontra.

    Agora pergunto a você em que mundo o Sr vive?

    Pois eu vivo num onde a realidade é constante querendo ou não ver.

    Seja na queda de um avião, em que matou várias pessoas, e que não vai dar em nada.

    Seja na rodovia a três quadras de casa que falta sinalização e já levou varias pessoas a morte.

    Seja na esquina de casa onde tem um grande trafico de entorpecente e que vejo amigos de colégio se acabarem num mundo de ilusão.

    Seja na faculdade onde estudo que namorado mata amante da namorada com punhalada nas costa.

    E ai onde está a justiça ?

    Você está falando da mesma justiça que não vai condenar ninguém a prisão pela queda do avião da tam?

    Ou você está falando por si próprio?

    Vou ser Sincero com você, tenho 22 anos de idade, estudo faculdade de Fisioterapia e moro numa periferia perto de campinas em SP. Já me sinto orgulhoso por estar conseguindo terminar meu curso morando onde moro e de ter um site que tem na faixa de 3.000 visitas diárias em menos de 4 meses.
    Pois nele consigo passar minha indignação do Pais em que vivo fazendo o que era pro governantes fazer por meios menos dramático mais que funcionasse.

    Em que mundo você vive Rogério?

  7. Carlos, o mundo que eu vivo é o mesmo que o seu. Mas o que diferencia as pessoas é a conduta, a atitude diante dele.
    Conheço bem a região de Campinas, sou natural de Rio Claro. Também vim da periferia. Como repórter de polícia, já cobri acidentes de trânsito terríveis, bem como já tive que lidar com outros tipos de tragédia na vida pessoal e profissional.

    Hoje, sou professor de jornalismo em Santa Catarina. Tanto como jornalista quanto como educador, me esforço para formar gente melhor do que eu. Não acredito na educação pelo medo. Penso que o processo de ensino e aprendizagem são mais complexos e porque lidamos com seres humanos, precisamos motivá-los, chamar suas atenções, incentivá-los, levá-los a buscar conhecimento e experiência. O susto, o choque pode até funcionar – como você diz -, mas nem todos reagem bem a isso. Impor o pavor, o terror, não é o mesmo que despertar a consciência. É nisso que eu acredito.

    Nossas estatísticas sobre vítimas no trânsito são subnotificadas. Isto é, não são 50 mil mortos por ano. Temos mais. Até porque não se consideram as vítimas que morrem duas semanas após internação hospitalar, mesmo que em decorrência dos ferimentos de acidentes. Educar para o trânsito, no Brasil, deveria ser prioridade nacional, e mortes provocadas por motoristas embriagados deveriam ser consideradas como homicídios dolosos. As indústrias automobilística e de bebidas deveriam se envolver nisso. As escolas também. Isso não está na lei, mas está lá que o Conselho Nacional de Trânsito tem como atribuição também incentivar a educação para o trânsito.

    Também me indigno, Carlos. Como você, me sinto desconfortável, irritado e revoltado com o que se passa.

  8. Rogério , eu entendo sua posição, mas nem todos vem as coisa igualmente.
    Está foi a maneira que eu encontrei de ajudar, concordo com você quando diz :

    “O susto, o choque pode até funcionar – como você diz -, mas nem todos reagem bem a isso. Impor o pavor, o terror, não é o mesmo que despertar a consciência”

    Tive alguns erro na elaboração do portal , mas como você viu no site agora só entra quem realmente tem interesse no material que tenho para mostrar.
    A partir de motores de busca ou indicação.

    O site está em elaboração ainda , não tem nada concreto.

    Agora eu acho que no momento não tem nenhum outro meio de despertar a consciência distribuído pelos governantes.

    Tudo que se passa na mídia é a realidade camuflada, onde vemos as coisa minimizada.

    Eu não vejo outra maneira de mandar uma mensagem que atraia tantos visitantes interessado no conteúdo.

    Se tiver uma sugestão por favor diga.

    Agora só peso ao Sr. que não descrimine, e entenda que cada um pensa e age de forma diferente.

    E que as vezes pode vir a ser entendida como algo diabólico e sobre-humano.

  9. Ok, Carlos.
    O que me incomoda é o uso de imagens alheias, de pessoas em situação de extrema fragilidade ou impotência, de pessoas mortas que mal podem reivindicar seus direitos.
    Parece pouco, mas não é.

    Bola pra frente!

  10. AI galera sou uma pessoa q apos ver o site do Carlos me concientizei a nao correr mais…
    Algumas pessoas dizem ser errado, porem quando tu perde sua cnh por estar alcolizado, uma das aulas q vc recebe e justamente a q mostra oq acontece com pessoas q nao respeitam as leis de transito, algumas pessoas so começa a respeitar a vida depois que realmente ve q ela e muito fragil… eu sou uma delas,

  11. Pense numa criança que teve seus pais mortos em um acidente de trânsito ao buscá-la na escola e que algum tempo depois aprende a navegar na internet e descobre um site que publica fotos de acidentes e reconhece o colar da sua mãe num pedaço de corpo sem uma parte da cabeça. Acho que essa criança não conseguiu encontrar nenhuma orientação educativa a não ser ter que ser internada num hospital para tratamento. Não vou divulgar detalhes do acontecido nem dar nomes para especulação. Mas isso acontece sim pessoal! E isso pode acontecer com qualquer um de nós. Talvez na jovialidade (Carlos) valha a máxima: “isso nunca vai acontecer comigo”, mas com a experiência da vida (Rogério Christofoletti) ou com a dor vivenciada por alguma situação (eu ), nós passemos a dar mais importância as coisas.

  12. A um bom tempo que não entro nest topico, mas enfim, eu e o Rogério Christofoletti tivemos um debate aqui como todos podem ver, temos atitudes e visão diferente mas entramos num acordo onde o mal está no olho de quem ve, se querem ver o mal no site verá, mas se quizer acordar pra vida acordara tb.
    a vida é fragil e o risco é constante, eu acredito que postando as fotos livrarei alguem de um fim tragico.

    abraços a todos

    Carlos A C Souza

  13. Ele está certo, não tem a ver com desrespeito com os mortos nem com seus familiares, porém é uma forma de educação sim, que pode ser vista, se deixarem esta máscara de pseudo-moralismo cair de seus rostos.

  14. Certo ou não, eu semprei achei que o ser humano somente toma conta dos problemas quando os vê como realmente são. Talvez não seja a forma mais correta mostrar o resultado de acidentes e assassinatos, mas eu acho que às vezes não há outra forma de conscientizar uma pessoa irresponsável a não ser sendo cruel e direto. Os bêbados deveriam ser colocados na emergência dos hospitais para verem ao vivo o resultado de suas idiotices.

  15. Ola Rogério,

    sobre o tal site, além de tudo o autor não conhece a lingua portuguesa, supondo-se então que o conhecimento minimo e básico sobre direitos e ética devem ser minimos tambem.
    pelos comentarios respostas do responsável, os quais li acima, acho que continuar discussão com esse cidadão será como “dar pérolas á porcos”, a despeito do teu esforço em faze-lo entender o óbvio!

    1. olha estamos num muindo que ninguem quer ninguem então temos que evitar tudo para nada de ruim acomtecer nois podemos evitar muitas coisas

  16. Gostaria de saber se o Sr Carlos (e as pessoas que o apoiam) gostariam de ver fotos de seus entes queridos publicados em sites como esses?

    Imagine que o seu filho, filha, irmao, irma, pai ou mãe sofreu uma morte violenta e tragica….

    Imagine o corpo desse ente querido todo machucado sendo divulgado na Internet….

    O senhor usaria tais imagens – do seu pai acidentado, por exemplo…para “educar”? Seja sincero desta vez…..

  17. Uma outra pergunta o educador Sr Carlos, imagine se o senhor estiver envolvido numa cena de acidente como uma das vitimas ,,,, digamos,em uma situacao que nao possa controlar pessoas tirando fotos de vossa pessoa ……

    Agora, imagina uma foto sua – todo machucado n publicadas em sites como o seu…. ou usando a sua imagem destroçada para “educar”

  18. Uma outra pergunta o educador Sr Carlos, imagine se o senhor estiver envolvido numa cena de acidente como uma das vitimas ,,,, digamos,em uma situacao que nao possa controlar pessoas tirando fotos de vossa pessoa ……

    Agora, imagina fotos de sua pessoa – todo machucado na beira de uma estrada – publicadas em sites como o seu…. a gente nunca sabe o dia de amanhã….

    o que a gente faz para os outros, volta para a gente

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.