livro com cara de internet

Hoje, já não é mais novidade um livro ser lançado na forma de volume impresso e, ao mesmo tempo, em formato digital, próprio para dispositivos móveis de leitura. A exemplo de outras áreas, o mercado editorial precisou se adequar a novos hábitos de consumo e a novas formas de difusão da cultura do livro.

Mas as editoras não apenas estão oferecendo livros em bits como também estão encurtando o tempo de produção de volumes impressos. Dou um exemplo. Acaba de chegar às livrarias brasileiras o livro “Wikileaks – A guerra de Julian Assange contra os segredos de Estado”, dos jornalistas David Leigh e Luke Harding. O volume editado pela Verus está chegando aos leitores poucas semanas depois de sair das mãos dos autores. Para se ter uma ideia, a introdução do editor do The Guardian Alan Rusbridger para o livro é datada de 1º de fevereiro de 2011. Olhe o calendário: passaram apenas algumas semanas para que o livro fosse traduzido para o português, preparado, impresso e distribuído no Brasil… Um livro nos moldes tradicionais na velocidade da internet!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

  1. Pingback: wikileaks e the guardian: bastidores « monitorando
  2. Pingback: Comentário objETHOS: WikiLeaks, jornalismo e preservação de fontes « objETHOS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s